Dois dias intensos marcam nossa Jornada Anual

Aconteceu, nos dias 24 e 25 de agosto, nossa Jornada Anual - “O pensamento de Jean Laplanche”, na qual retrabalhamos o pensamento deste brilhante pensador, à luz das contribuições do psicanalista Christophe Dejours (Membro do IPSO de Paris - Instituto de Psicossomática e da Associação psicanalítica da França-APF), e com a participação de Luiz Carlos Tarelho (Mestre em psicologia social pela Universidade Católica de São Paulo e Doutor em estudos psicanalíticos pela Universidade Paris VII, de Denis Diderot).

 

Os trabalhos iniciaram na tarde do dia 24 com o curso: “A paranoia à luz da teoria da sedução generalizada de Jean Laplanche”, ministrado por Luiz Carlos Tarelho. Ele abordou, discutiu e desenvolveu com profundidade a questão da psicose, a partir dos fundamentos em Freud, enriquecidos pelos aportes teóricos de Jean Laplanche, apresentando a produção de novas teorizações e indagações para a prática da clínica psicanalítica com o paciente psicótico.

 

A Jornada foi aberta após o curso com a conferência de Christophe Dejours: “A terceira tópica: clivagem e negação, inconsciente amencial e inconsciente encravado”, dando início a uma rica discussão sobre os fundamentos da terceira tópica desenvolvidos pelo psicanalista e suas consequências para a clínica psicanalítica, a partir da teoria da sedução generalizada de Jean Laplanche.

 

No sábado, seguiram-se os trabalhos com a segunda conferência de Christophe Dejours: “Terceira tópica e análise da destrutividade”, seguido da mesa redonda “Impacto da terceira tópica na clínica psicanalítica”, com a participação de Dejours, Tarelho e Kenia Behr.

 

Finalizamos esta Jornada com muita satisfação, enriquecidos pela contribuição destes autores contemporâneos e, também, pela proposta de uma imersão no espírito científico e crítico estimulado pelo debate das ideias, debate tanto importante para a psicanálise quanto à clínica de nosso tempo.

 

Simone A. Groff
Coordenação Científica

 


Galeria de imagens