Casos clínicos estudados por Freud

É através dos historiais clínicos publicados por Freud, relatados de forma extensiva e minuciosa, que temos a possibilidade de acompanhar as mudanças por ele realizadas, na abordagem das patologias, de seus inícios até seus últimos desenvolvimentos, em seus textos técnicos.

 

Com a Sra. Emmy de N., Freud foi tratando de descortinar o sentido dos padecimentos por ela sofridos, apresentados através de afasias, enxaquecas e delírios terroríficos que versavam sobre figuras de animais e cadáveres, cenas que misturavam fantasia e realidade.

 

Seriam os sintomas da paciente, fruto da intensa e precoce sexualização vivida na infância, comprovação da tese freudiana a respeito de um dos fatores etiológicos da histeria?

E as exclamações proferidas de modo abrupto por Emmy, em meio ao relato de seus padecimentos, seriam “a fórmula protetora”, modo defensivo de domínio com respeito aos pensamentos que a atormentavam dirigidos ao marido e a mãe?

 

A cartografia do sintoma, a fantasmatização da sexualidade traumática e alienante, foi sendo construída através de suas neuróticas, assim como a teoria das instâncias psíquicas e do funcionamento mental - toda a sua obra – A Psicanálise.

 

O método sugestivo das origens, vai evoluindo junto à imperiosa necessidade de investigar a etiologia e o sentido dos sintomas, e a abreação dá lugar a associação livre e a interpretação dos sonhos.

 

Miss Lucy, Catalina, Isabel, Dora, Ana e tantas outras jovens oriundas de uma cultura extremadamente repressiva foram sendo as co-autoras do método analítico, nomeando e dando contorno a nova técnica, através de seu padecimento histérico. Também conhecemos o longo sofrimento do russo Serge Pankejeff , um dos mais famosos casos freudianos – o ‘ homem dos lobos’, com quem Freud realiza um dos mais longos tratamentos analíticos na época , e cuja dificuldade e gravidade dos sintomas o ensina com respeito à questões da técnica.

 

Neste estudo abordaremos a temática do sentido e da formação dos sintomas, assim como a etiologia das perversões e psicoses, revisitando casos clínicos estudados por Freud.

 

Venha estudar conosco!

 

Simone A. Groff
Direção Científica